El Pelegrino rumo à Santiago de Compostela pelo Caminho Português


Etapas Caminho
Português:

Caminho Fátima

Caminho Central

Caminho Português
Central

Caminho Costa

Caminho Central

Caminho Português

Caminhos:



Caminha a Baiona - 37 km.




O bom de dormir sozinho no albergue é o silêncio e privacidade. Como não havia pressa pra sair, fui me ajeitando devagar. Fiz uma seção de alongamento, massageei os pés, rezei o terço e arrumei a mochila aos poucos, tinha bastante tempo, pois a barca de travessia só saía às 09h00.


Estava pronto às 08h20, o que ainda sobrava muito tempo para o café da manhã. Saí do albergue e lembrei que não havia tirado fotos do interior, quando tentei voltar, a porta não abria mais, ou seja, se alguém esquecer algo no albergue vai ter que esperar a abertura da cafeteria pra ver se dá um jeito.


Fui tomar café no local onde tinha jantado na noite anterior. Recebi várias mensagens durante a noite, mas como sempre desabilito os serviços móveis quando vou dormir, chegaram todas ao mesmo tempo quando acessei o Wi-Fi da Cafeteria.


As notícias eram dos atentados em Paris. Consegui acalmar os nervos do pessoal no Brasil e assisti as notícias que passavam na TV naquele momento.


Vi que o meu amigo em Paris estava bem, mas não dava para acreditar, como é que podem acontecer seis ataques simultâneos em plena Paris?


Agora a coisa ia ficar mais complicada por toda a Europa. Talvez isso interfira na minha peregrinação, afinal a ideia inicial era ir até Roma. O inverno está chegando e a guerra também, se a coisa ficar feia o jeito é adiar os planos.


Fui correndo ao local pra pegar o Ferry-boat que me informaram sair às 09h00, quando cheguei ao local descobri que o barco só partia às 10h00. Esse atraso vai afetar toda a etapa.


Dei uma volta no centro de Caminha pra tirar algumas fotos da cidade, em seguida retornei ao café pra assistir ao noticiário e comprar algumas coisas pra comer do outro lado da fronteira. As notícias não eram nada boas, França declarava guerra contra o estado islâmico. Mais sangue será derramado.


Às 10 horas estava dentro do Ferry-boat, travessia tranquila, rendeu muitas fotos e rapidamente eu já estava em A Guarda. Um dos funcionários do Ferry-boat me disse para me dirigir a bilheteria do lado espanhol, pegar informações e carimbar a credencial.


Eram 11hs e eu tinha duas opções, seguir as setas amarelas até Mougás ou pegar uma rota alternativa pela costa de A Guarda e dormir no albergue da cidade, aproveitar pra lavar roupa e saber mais notícias de Paris, pois eu não teria cabeça para caminhar com tanta coisa acontecendo.




Depois de duas horas cheguei ao albergue, mas antes passei na Polícia Local para solicitar abrigo, recomendação que a senhora do Ferry-boat me deu. O policial pegou o seu telemóvel e ligou para o hospitaleiro, pois o albergue só abria depois das 16hs.


Cheguei ao albergue e o hospitaleiro já estava me aguardando, Antônio é o seu nome, peregrino e hospitaleiro. Contou-me um pouco de sua história, após curar-se de um câncer em 2003 decidiu realizar o Caminho de Santiago, nunca mais parou de caminhar e ainda realiza o trabalho voluntário de hospitaleiro.


Deu-me algumas dicas do Caminho Português da Costa, passou-me as chaves do albergue e saiu, disse-me que a casa era minha agora. Lavei as roupas rapidamente e coloquei-as para secar no sol.


Fiz uma visita a Fortaleza que fica no alto da vila de A Guarda, bem conservada e com vista privilegiada da cidade. No final do dia assisti o pôr do sol na enseada da vila, muito bonito e especial, ainda mais depois de tanta notícia ruim.


Fui jantar e recebi noticias das americanas, elas também estavam meio desnorteadas com todos os acontecimentos. Aproveitei ao máximo ali no restaurante para saber mais sobre os atentados, agora a Espanha também entrava em alerta.


O jeito era deixar as coisas fluírem normalmente e ver o que me aguarda, sei que é muito difícil algo dessa natureza acontecer no Caminho, mas agora eu terei que ficar alerta também, evitar deixar a mochila solta nos cantos para não assustar as pessoas e tudo mais.


Voltei para o albergue para dormir e levantar cedo no dia seguinte, eu teria que compensar os quilômetros da etapa.


Quando acordei nem acreditei quando olhei pela janela, além de escuro, havia muita névoa e parecia que estava frio, dentro do quarto não dava pra sentir por causa do aquecimento. Ao sair do albergue comprovei que realmente estava muito frio.


As setas amarelas me levaram novamente em direção à Costa, seria bom se pudesse enxergar algo além de 50 metros.


Como o hospitaleiro Antônio disse as setas amarelas seguem todo o tempo pela estrada, de vez enquanto um desvio por trilha paralela e assim foi até chegar a Oia, dezesseis quilômetros depoi e onde consegui o meu primeiro desayuno do dia.


Eu tinha informações que na cidade havia um albergue, mas a verdade era que o albergue ficava uns dois quilômetros mais a frente já em Mougás. Mas o belo Mosteiro de Santa Maia que fica bem em frente ao mar compensava essa desinformação. De acordo com uma foto na parede do bar o mar chegava bem perto das portas do Mosteiro em dias de ressaca.




Após Oia as setas seguem novamente hora em asfalto hora em trilha e as opções de hospedagem são variadas, desde o Albergue de Peregrinos em Mougás, duas opções de campings e alguns hotéis na beira da estrada. Há também uma variedade de restaurantes e alguns mercadinhos, parei num deles para o segundo desayuno do dia.


Para aqueles que tiverem a intenção em ficar no albergue de Aguncheiro em Mougás, deve-se ficar atento, pois não me lembro de sinalização indicando o local e acabei passando direto. Se você chegar ao Camping O Muiño é por que você passou direto também.


Caminhar pelo asfalto é mais fácil, mas os pés reclamam mais também, por causa do piso duro e quente. A velocidade média da caminhada nessa etapa foi de 5 km por hora, o meu record até o momento.


Vi um grande farol no fim da estrada, com algumas casamatas com algo que pareciam canhões em seu interior. Aquilo atraiu minha atenção e me fez perder o único desvio à direita do dia e acabei perdendo as setas amarelas.


Pensei que poderia encontra-las mais a frente, ledo engano. Continuei em direção ao Farol, boas fotos, mas acho que isso teve um custo alto na quilometragem percorrida no dia, um quilômetro a mais.


Após o Faro já se consegue ver a cidade de Baiona, com o Castelo de Monterreal dando as boas vindas. A cidade é bem movimentada, turística e grande, mas tem um problema... Não tem albergue para peregrinos!


A saída era encontrar alguma hospedagem de baixo custo para o pernoite e o melhor local para encontrar alguma coisa era o informador turístico que fica bem na entrada do Castelo.


A opção mais barata era de €18 e sabendo que o próximo albergue de peregrinos fica em Nigrán, mais 5 km e que custa €15, não estava tão ruim assim ficar na cidade e aproveitar a tranquilidade de um quarto privado.


A informadora disse que eu poderia pegar um ônibus para ir até Nigrán e que muitos peregrinos faziam isso e no dia seguinte pegavam outro ônibus para voltar até ali, pra recomeçar a caminhada. Quase um insulto!


O Hotel tinha uma “estrela” e o quarto satisfatório, não tinha café da manhã, mas também era pedir demais. Está indicado no mapa do Google, além de outras opções de hotéis em Baiona.


A cidade é muito bonita, além da orla tem vários bares e restaurantes que funcionam até tarde. Experimentei uma partilhada de costela, algo parecido com churrasco, onde duas pessoas comiam facilmente.



Topografia da etapa do Caminho Português da Costa


Há outros atrativos na cidade como a Igreja de Santa Maria de Baiona, de aspecto fortificado e estilo românico, construída no século XIII e considerada Colegiata de 1482 a 1850.


Apreciar o por do sol no Castelo de Monterreal é uma boa pedida para o final do dia, além de degustar os chocolates de fabricação artesanal vendidas em uma das lojas da cidade, Fina Rei acho que era esse o nome.


Mais uma etapa cumprida. Próxima etapa Vigo!





Fotos da Etapa:




Clique aqui para ver os Albergues da etapa!

  • 00 - Albergue xxxx
  • Endereço:
    Localidade:
    Telefone:
    E-mail:
    Site: #
    Propriedade: Privado
    Administração: Privado
    Manutenção:
    Obs: